Arquivos do Blog

Crítica Rock In Rio 2011 – System of a Down

Último dia de festival, um público que começou agitadíssimo com o show dos Detonautas, voltou a se acalmar com Pitty, permaneceu assim com Evanescence e foi premiado pelo melhor show do Rock In Rio 2011!
Quando a banda System Of A Down entrou no palco, a galera já se animou. O show mais esperado pelo público foi inacreditavelmente enérgico. A banda, que ficou quase quatro anos parada, mostrou porque foi a mais votada na enquete oficial do Rock In Rio antes dos shows quando se definia a Top-Line.

Foto de: Ricardo Matsukawa/Terra

Serj Tankian provou porque é considerado um dos melhores vocalistas da atualidade, esbanjando categoria e seu timbre melódico.
Daron Malakian também fez bonito, além de estar super empolgado com o show, interagiu com o público e arrancou acordes magníficos de sua guitarra.
Shavo Odadjian, como sempre, foi perfeito no baixo.
John Dolmayan comandou os bumbos de sua bateria com a excelência de sempre.

Com toda a certeza, muitas pessoas começaram a conhecer ainda mais System of a Down após esse show e perceberam que a banda não é apenas música; é engajamento político e ambiental, atitude e comprometimento.
Durante o show, Serj Tankian disse: “Sem nosso ecossistema, morremos. Vamos salvar o meio ambiente” tentando passar ao povo brasileiro uma mensagem conscientizadora. Pode parecer clichê, mas conhecendo o trabalho social de Serj, é possível acreditar na veracidade do sentimento transmitido pela mensagem.

Serj, em sua carreira solo, dedicou 90% de suas composições aos projetos políticos que defende e critica e à sustentabilidade. Daron também fez uma pequena parcela disso em sua banda paralela que durou pouco, Scars on Broadway.

Foto de: Ricardo Matsukawa/Terra

Voltando ao show no Rock In Rio, a banda preparou uma setlist com 28 músicas, sendo TODAS elas cantadas em coral pelo público apaixonado e vibrante (outro ponto alto desse festival). Intercalaram o som pesado com a melodia, incluindo aquele toque armênio que existe no sangue dos integrantes.

Abrindo com Prison Song, a banda empolgou a galera que já começou a gritar e pular. Logo após, presenteou o público com a introdução de Soldier Side seguida por BYOB, talvez o maior sucesso da banda. (segue vídeo abaixo)

Como se não bastasse, fez uma sequência com Revenga, Needles, Deer Dance, Radio/Vídeo, Hypnotize, Question, Suggestions, Psycho, Chop Suey, Lonely Day, Bounce, Lost in Hollywood, Kill Rock n Roll, Forest, Science, Mind, Innervision, Holy Mountains, Aerials, Vicinity, Tentative, Cigaro, Suite Pee, War?, Toxicity e Sugar.

Não a toa, o show do System of a Down foi eleito pelos criadores do Chico Louco como o MELHOR show desse Rock In Rio. E com certeza, o Brasil ficará marcado para sempre na memória deles, pois no final da apresentação, a emoção de Serj era óbvia, tanto que no fim do show ele vestiu uma bandeira do Brasil, se ajoelhou no palco e agradeceu. “Isto é System of a Down. Obrigado! Estamos felizes por termos tocado aqui no Brasil”.
E pode acreditar Serj, também estamos felizes por terem vindo e nos presenteado com o talento de vocês!
Volte sempre, System of a Down!

Foto de: Ricardo Matsukawa/Terra

Anúncios

Talento em família

O Armênio Serj Tankian (muitas vezes citado nesse blog), herdou sua paixão pela música de seu pai, Khatchadour Tankian, que é um cantor conhecido da Armênia.
Um encontro entre pai e filho rendeu uma magnífica apresentação de uma música chamada Bari Arakeel.
Sem dúvidas, é de arrepiar.

Serj para todos

Para alegrar o dia dos fãs de um dos maiores cantores, compositores e pianistas que já passou pela Terra, deixo aqui uma apresentação épica, de um show ainda mais épico. Serj Tankian se apresentou com uma orquestra sinfônica no ano passado cantando as músicas de seu CD em trabalho solo, Elect the Dead e nos presenteou com uma obra-prima do cenário musical. Menos de 100 pessoas no Brasil possuem o CD+DVD dessa apresentação de Serj. Eu tenho, já assisti mais de 20 vezes e aconselho aos fãs desse cantor: Comprem!

Arte de João Figueiredo

Qualquer semelhança é mera coincidência!

Assistindo ao VMB 2010 (aquela premiação marmelada que irei comentar amanhã), durante o show do Capital Inicial, notei uma semelhança que me deixou muito intrigado! O Dinho é a cara do Serj Tankian! Pena que o Dinho não canta nem 1/3893893893 do que o Serj canta…

Serj Tankian não está a venda

Mais uma vez venho fazer um post sobre Serj Tankian. Toda vez eu explico quem ele é, o que ele faz, agora nem preciso dizer mais nada. Ainda na época do System of a Down, lembro que Serj fazia entre as músicas do repertório da banda, uma espécie de improvisação ou apenas uma melodia programada, o que era incrível. E parece que ele coninua fazendo isso. Em um show que fez em Londres, Serj mostrou porque ele não se vende como a maioria dos artistas de hoje em dia. Um aviso às bandas seduzidas pelo dinheiro e mal encaminhada por empresários: Serj Tankian não está a venda!

Clipe oficial de Left of center

O armênio com uma das vozes mais brilhantes da humanidade, Serj Tankian, lançou o clipe oficial da música Left of Center, que é uma das faixas do CD Imperfect Harmonies, a ser lançado dia 21 de setembro.
Confiram mais essa obra de arte:

Serj Tankian cada vez melhor

O cantor,compositor, multiinstrumentista e escritor Serj Tankian, disponibilizou no youtube o vídeo da música “Left of Center”, que estará presente em seu novo álbum Imperfect Harmonies, que deverá ser lançado no dia 7 de setembro. Mais engajado do que nunca, Serj continua com sua pegada rock and roll, com seus vocais surpreendentes e letras de conscientizção, criticando sistemas, guerras e civilizações. Essa é a grande virtude de Serj, que além de ter uma música incontestavelmente boa, luta contra o que o mundo tem de pior para oferecer, tentando assim mudar o rumo da história. Isso me lembra os bons tempos de Legião Urbana, com letras inteligentes, quando a letra era mais importante do que a maneira de se apresentar ao público. Aprende como se faz Restart, Cine, Justin Bieber, e outras porcarias que mais parecem ETs aliciando a juventude transviada da atualidade.
Fiquem com uma música de qualidade, Left of Center: