Arquivos do Blog

O Fantástico Mundo de Juan Orol

Poucos já devem ter ouvido o nome Juan Orol. Pois bem, para quem não sabe, este foi um ícone do cinema B mexicano à partir dos anos 30, a época de ouro do cinema mexicano e responsável pelo gênero “gangster tropical”. Na película “O Fantástico Mundo de Juan Orol”, assinada por Sebastian del Amo, temos uma cinebiografia deste cineasta que nos é mostrada de um modo incrivelmente peculiar, tão surrealista quanto os próprios filmes de Orol.

Entre Espanha, Cuba e México, Orol foi jogador de beisebol, piloto de corrida e espião antes de finalmente entrar para o mundo do cinema. Sem saber nada sobre técnicas de filmagem, o diretor, roteirista, produtor e ator criou seu próprio nome, vivendo uma vida de excessos digna de uma de suas produções.

Estrelado por Roberto Sosa, “O Fantástico Mundo de Juan Orol” mistura ficção e realidade onde Orol, desde jovem tem a companhia imaginária de Johnny Carmenta, seu personagem mais icônico. Contado de modo exagerado como se fosse um dos próprios filmes de gangsteres de Orol, o filme se passa em preto e branco até o quarto casamento deste, quando resolve filmar em Technicolor, e a partir dái a cinebiografia também se torna à cores. Desde o início a produção poderia ser uma história ficcional devido a seu estilo, fotografia, montagem e roteiro. Mas não é, e isso que a torna ainda mais excitante.

Com atuações exageradas, del Amo brinca com os próprios clichês do mundo do cinema, como as atrizes que conseguem os papéis de estrela depois de um bom teste do sofá; ou o mundo impecável de cabelos carregados de brilhantina, ternos riscado e cabarés cheios de fumaça de charuto e do torpor causado pelo uísque. O diretor também faz uso de clichês mexicanos para contar uma história de dentro para fora, onde realidade e ficção se misturam e consegue desde o primeiro minuto prender a atenção do espectador que se mantém maravilhado e incrédulo até a passagem dos créditos. E claro, cumpre o seu dever de despertar a curiosidade por Juan Orol, nome quase esquecido do mundo do cinema.

Trailer