Arquivos do Blog

Ted

Todos queremos ter, nem que seja uma vez na vida uma noite politicamente incorreta. Bom, eis que ela pode acontecer sem aviso prévio ou sem que tenha sido planejada. Inocentemente deixar seus amigos comprarem as entradas do cinema para na hora H descobrir que eles se confundiram com os nomes dos filmes não tem preço. Bom, tem preço sim, já que o ingresso não foi de graça. Mas o melhor é entrar na sessão de um outro filme, se sentar no lugar de alguém, ser expulso, descer para a primeira fileira e se sentar do lado de um casal de lésbicas! Isso até parece coisa de filme, não é mesmo?

Ted é uma comédia escrita, dirigida, produzida e estrelada por Seth MacFarlane, o mesmo criador de Uma Família da Pesada, American Dad e The Cleveland Show. A história de Ted acompanha John, personagem de Mark Wahlberg que quando pequeno, nos arredores de Boston, ganhou um ursinho de pelúcia de seus pais de presente de natal. Sem amigos, John faz um desejo, que seu ursinho Ted ganhe vida. A surpresa é que o pedido se realiza. Já adultos, John e Ted continuam parceiros, e é aí que a faceta humor negro de MacFarlane aparece.

Ted é um ursinho tarado, maconheiro e que não dispensa uma birita, sempre fazendo piadas antissemitas e se insinuando para a garota que usar o maior sutiã, o único problema é quando a amizade com John começa a atrapalhar seu namoro com Lori, vivida pela beldade de olhos esmeralda, Mila Kunis. Lori exige que John se porte como homem e não como um menino, e lhe dá um ultimato, escolher entre ela ou Ted. Sacanagem com o marmanjo.

A história é simples, mas pelo personagem Ted ser tão porra louca, sua persona se torna tão real e ao mesmo tempo tão fofa, isso mesmo, fofa, que não dá para desgostar da comédia. Os xingamentos, piadas e tudo mais que existe de errado está no filme, mas para não ficar só nisso, MacFarlane usou de outras sacadas que servem para estabelecer a base de Ted e John. Com um leque de referências oitentistas, MacFarlane cria tantos momentos incríveis que somente quem entende dessa década tão cult trash vai realmente se matar de rir e de certo modo se sentir lisonjeado. Enaltecendo James Bond e Flash Gordon, o roteiro transforma em nada os afetados Justin Bieber e Taylor Lautner.

O filme é nota 10, incrivelmente original e desbocado, além de ser recheado de participações especiais e chega, em certo ponto a nos despertar aquele sentimento comovente que sempre existe em filmes com bichinhos e coisas do gênero, mas isso para depois jogar toda a pelúcia no ventilador e voltar a ligar o botão de Fo***** para todo o resto. Só tome cuidado para não ficar tão politicamente incorreto que na hora do selinho gay(SPOILER) soltar um “Ai, que mer**”, ao lado do casal de lésbicas.

Trailer

Anúncios

Skyfall ganha videoblog

foto divulgação

Sam Mendes, diretor de Skyfall, 23ª aventura cinematográfica de James Bond nos cinemas lançou um videoblog narrando suas experiências com a cine-série e de como o filme é o seu primeiro a ser rodado em solo britânico.

Nas imagens exibidas durante o vídeo podemos ver Mendes coordenando seus atores nos sets de filmagem e também a silhueta de Daniel Craig no cenário luminoso que faz as vezes de Xangai e que também serviu de fundo para a primeira foto oficial da produção lançada há algumas semanas. A foto encabeça essa postagem.

Videoblog

Descubra em 5 motivos porque Kelly Brook deve ser a nova Tomb Raider

Que a icônica personagem Lara Croft está para dar as caras novamente nos videogames não é novidade, com um reboot em desenvolvimento pela Crystal Dynamics e Square Enix com previsão de lançamento para o terceiro semestre do ano que vem. O que nem todo mundo sabe ainda é que Lara também vai voltar aos cinemas em outro reboot. Os direitos da franquia foram adquiridos no final do ano passado pelo produtor Graham King, responsável por filmes como “O Turista”, “Atração Perigosa” e “Gangues de Nova York”.

Lara Croft no reboot para os video games.

Não vai demorar muito para que as especulações e a boataria comecem a circular pelos meios de comunicação, principalmente a internet. Por isso o Chico Louco já deixa aqui a sua opinião de quem seria a melhor escolha para encarnar a audaz aventureira. Para nós, a modelo e atriz britânica Kelly Brook seria a melhor das escolhas. Conheça 5 motivos para Kelly ser a nova Lara Croft do cinema.

MOTIVO 1

Ambas, personagem e intérprete, são britânicas, fato que os fãs apreciam muito quando o ator ou atriz a desempenhar o papel tem a mesma nacionalidade que o seu personagem. Exemplo disso é James Bond, que de 6 atores que o interpretaram 5 eram britânicos, com a exceção de George Lazenby que é australiano e que é o menos conhecido deles com apenas um filme do espião no currículo.

MOTIVO 2

As duas são fisicamente parecidas com olhos e cabelos castanhos e medidas muito próximas.

Lara Croft:

altura: 1,75m

busto: 85

cintura: 60

quadril:  87

Kelly Brook:

altura: 1,73m

busto: 86

cintura: 63

quadril:  88

MOTIVO 3

Assim como Lara em suas primeiras versões veio a se tornar um ícone sexual devido sua aparência de seios fartos e quadris largos, antes de se estabelecer como uma personagem dramática, o mesmo aconteceu com Kelly Brook. A jovem iniciou sua carreira artística como modelo sendo garota propaganda de marcas como Adidas, antes de ser descoberta como atriz e ganhar voz, por assim dizer. Ela provou ser uma atriz tridimensional de talento em filmes como “School of Seduction”, “Survival Island” e “Fishtales” . Atuou também na série dramática inglesa “Skins” e em “Marple” e “Hotel Babylon” ambos da BBC.

MOTIVO 4

Como dito antes, Lara passará por 2 reboots, e o momento é oportuno para uma nova intérprete. Sem essa repaginada no universo da personagem uma nova intérprete poderia não ser bem aceita pelos fãs. Exemplo é Andrew Garfield, o novo Homem-Aranha que com o próximo filme do aracnídeo dará início a uma nova trilogia a partir de um novo começo. Se o ator tivesse pegado o bonde andando para fazer sequências diretas dos filmes anteriores do herói, a produção já estaria marcada negativamente antes mesmo de estrear. De certo modo tanto a nova Lara dos games como a do cinema vai ajudar na promoção uma da outra.

MOTIVO 5

Tá bom, o quinto motivo vai parecer meio utópico, coisa de mundo ideal e tal, mas existem determinadas pessoas que nascem para desempenhar determinados papéis como é o caso de Daniel Radcliffe e Harry Potter, Christopher Reeve e Superman e por aí vai. Ah, e é claro Kelly Brook e Lara Croft… é questão de feeling, sabe.

Graham King diz que o projeto ainda está em fase inicial com o roteiro sendo escrito por Mark Fergus e Hawk Ostby, conhecidos por “Homem de Ferro”, “Filhos da Esperança” e “Cowboys & Aliens”. De acordo com o produtor do novo longa que não descarta a possibilidade de por Angelina Jolie como diretora diz que assim como o próximo game da heroína a história se focará em uma Lara mais jovem e antes de ser conhecida como Tomb Raider. O produtor espera por as câmeras para rodar ano que vem para uma estreia em 2013.

Missão Impossível: Protocolo Fantasma

Quando fiquei sabendo que um novo Missão Impossível estava sendo rodado eu não me estusiasmei muito mesmo sendo um grande fã da franquia. Ultimamente tudo que temos visto são continuações e adaptações que vivem saturando as salas de cinema e que acabam querendo ou não perdendo um pouco do encanto que os blockbusters milionários devem ter. Eis que assisti ao filme.

Missão Impossível: Protocolo Fantasma, quarto filme da franquia de espionagem começa com Ethan Hunt novamente na pele de Tom Cruise sendo resgatado de uma prisão russa pela agente Carter e Benji, respectivamente interpretados por Paula Patton e Simon Pegg. Após a fuga Hunt e sua equipe recebem a missão de se infiltrarem no Kremlin e recuperarem arquivos que identicam o homem simplesmente conhecido como “Cobalto”. Porém a missão dá errado e a explosão de uma bomba leva o Kremlin ao chão. Sem apoio Hunt e seus companheiros são considerados culpados pelo ataque e o presidente americano inicia o chamado Protocolo Fantasma, desativando a IMF.

Sem nenhum apoio Hunt e sua equipe que passa a contar com a presença de William Brandt (Jeremy Renner) viajam para Dubai no encalço de Kurt Hendricks, estrategista nuclear que acredita que a raça humana deva passar por uma seleção  para que assim os fracos sejam separados dos fortes e a humanidade posso assim se livrar do seu crescente estágio de decadência. Hendricks na verdade é Cobalto e intenta iniciar um ataque nuclear com códigos roubados e dar início a Terceira Guerra Mundial.

Depois da incrível cena de alpinismo e rapel improvisado no prédio mais alto do mundo, o Burj Khalifa, Missão Impossível: Protocolo Fanstasma se torna uma correria desenfreada, literalmente, ao redor do mundo para que Ethan Hunt posso impedir o fim do mundo e limpar seu nome e o de seus companheiros.

O diretor Brad Bird  fez uso de um recurso ainda não muito em voga atualmente em filmes do gênero que é não se levar a sério. Em meio a cenas espetaculares de ação o diretor além de jogar piadinhas para a platéia faz piada com elementos clássicos da própria franquia e exagera no uso de bugigangas que até o próprio James Bond ficaria com inveja. Além disso o filme guarda muitas surpresas que vão agradar imensamente aos fãs mais assíduos. São esses pequenos toques de consideração para quem acompanha a cine série desde o início que o filme se torna tão especial, como se tivesse sido feito especialmente para nós. Não falta nada, está tudo na tela. Se o Chico Louco desse estrelas para os filmes que analisa, Missão Impossível: Protocolo Fantasma sem qualquer sombra de dúvidas receberia 5 estrelas.

Trailer

GoldenEye 007: Reloaded

GoldenEye ou como a garotada sem muito inglês dizia na época, Goldinei, é sem dúvida um dos jogos mais aclamados da história e que ajudou a popularizar o gênero tiro em primeiro pessoa ao lado de games como Doom e Wolfenstein. Muito do que se era visto em GoldenEye continua em voga até hoje, quase 15 anos depois. Armas a rodo, excelente história temperada a muita pólvora digital e multiplayer em split screen.

No ano passado uma versão reimaginada de GoldenEye foi lançada para o Nintendo Wii pelas mãos da Eurocom e Activision. Na nova versão o James Bond de Pierce Brosnan é substituído pelo atual 007, Daniel Craig. O roteiro ficou a cargo de Bruce Feirstein, roteirista do filme original de 1995 e Judi Dench voltou mais uma vez para interpretar M. Mudanças foram necessárias, atualizações na narrativa para a história se adequar melhor ao cenário mundial em que vivemos hoje além de uma roupagem mais sombria e realista, caraterística do 007 de Daniel Craig. Um ano se passou e o título que era exclusivo do Wii chegou para os consoles HD.

Em GoldenEye Reloaded o mais audacioso dos heróis tem que impedir que o grupo terrorista Janus use a arma espacial que dá título ao game de fazer a Inglaterra voltar a idade das pedras, já que o GoldenEye é uma arma de pulso eletromagnético que será disparado sobre a capital inglesa. Tudo começa quando James Bond e Alec Trevelyan (006) são enviados a Rússia para interceptar a chegada de um carregamento de armas para fins terroristas. Durante a missão 006 é morto pelo general Ourumov diante dos olhos de James Bond. Com uma pista a seguir, Bond parte rumo a Barcelona para saber de Valentin Zukovisky o que o grupo Janus pretende fazer com um helicóptero capaz de sobreviver a pulsos eletromagnéticos. Sem spoilers, já que a história é conhecida desde o lançamento do filme, Bond descobre que Alec Trevelyan é o líder do grupo Janus e que usou o helicóptero para roubar o GoldenEye. Auxiliado por Natalya Simonova, 007 tem de deter os planos do vilão que se refugiou em uma estação de energia solar na Nigéria.

Fazer um remake de um jogo como GoldenEye é pedir para se fazer algo tão incrível quanto; ou assinar a própria sentença de morte. Durante o início do game o jogador realmente se sente de volta no passado ao mesmo tempo que atualizado, com cenários parecidíssimos ao original da Rare mas muito mais sombrios e decadentes, afinal são instalações da antiga União Soviética! Mas a boa sensação acaba quando vemos a remodelagem de personagens icônicos como general Ourumov e Xenia Onnatopp, que aqui se tornam caricatos demais como se tivessem saído de desenhos animados do final dos anos 80 e início dos 90, tais como Capitão Planeta ou mesmo da antiga série James Bond Jr.

Que saudade da Famke Janssen…

A história se torna vazia quando o vilão simplesmente diz que sua vingança é contra os banqueiros e tudo que os bancos tocam. Na versão original o personagem de Alec Trevelyan quer vingança contra o Reino Unido, já que seus pais foram traídos pelos britânicos durante a Segunda Guerra Mundial ao tentarem desertar, e foram entregues de volta a Stalim. Claro que a historia de GoldenEye Reloaded foi atualizada, caso contrário o personagem seria velho demais para ser uma figura opositora a James Bond, pelo menos fisicamente. Como o passado e o futuro para o qual olham as duas faces do deus Jano, Bond e Trevelyan são opostos entre si representando de modo bem preto no branco o bem e o mal e a confiança e traição daqueles que um dia foram amigos.

Durante o decorrer do jogo os cenários deixam de se parecer com os originais do game do Nintendo 64 e se tornam confusos e não atraentes aos olhos que o jogador. A cada nova sala transposta é necessário se degladiar com dezenas de inimigos, que se não fosse o mapa no canto inferior direito da tela seriam impossíveis de se distinguir do cenário. Essa repetição entediante e desanimadora faz o jogador querer terminar o jogo apenas porque já o começou. Pequenos detalhes que deveriam ser essenciais perdem todo o sentido no novo GoldenEye, como o indicador de vida que a maioria dos jogos faz uso hoje; sangue na tela que vai perdendo a cor conforme o dano sofrido até voltar a se estabilizar quando o jogador tira o personagem da linha de tiro, aqui praticamente não existe. Isso somado a tiros invisíveis que atravessam as paredes deixam o jogador enfurecido demais para pensar em qualquer outra coisa senão correr a esmo. Outro contraponto é o indicador de granada incrivelmente impreciso que mais atrapalha que auxilia. Conselho: não desligue a auto aim, pois sem ela você atirará nas paredes mesmo que o alvo esteja diante de sua P99.

Rare, volte por favor!

O jogo faz uso de elementos tanto do filme de 1995 quando do jogo de 1997, como é o caso da música tema cantada por Nicole Scherzinger e não por Tina Turner, escrita por Bono e The Edge do U2. Grande erro é durante os créditos ao som da voz da ex-vocalista das Pussycat Dolls aparecer somente os nomes de Daniel Craig e Judi Dench, como se os outros atores como o britânico Elliot Cowan que faz Trevelyan não fosse levado a sério pela produção do título. Ainda falando em musicalidade, Reloaded peca imensamente por uma trilha sonora sem emoção e quase imperceptível que contou com a participação de David Arnold, compositor oficial dos filmes do espião que desempenha nas películas um trabalho tão notável quanto o do próprio John Barry. Ao contrário do GoldenEye da Rare onde a trilha marcante é uma lembrança agradável de fases como facility, bunker e cradle, cada uma com seu tema exclusivo, na obra da Eurocom é como se jogássemos no silêncio.

GoldenEye 007: Reloaded é uma mescla nostálgica da infância e adolescência de muita gente que só deve ser consumido por quem é fã do espião a serviço secreto de sua Majestade. O novo game sequer devia ser comaparado ao GoldenEye de 1997, precursor de uma era de jogos que atualmente não passa de uma mesmice enfadonha e nada original, já que os produtores preferem não se arriscar com coisas novas, mas sim saturar o mercado destruindo a essência de algo que um dia já foi considerado o melhor.

Sean Bean

Elliot Cowan

Trailer de lançamento

Tina Turner – GoldenEye

Nicole Scherzinger – GoldenEye

Conheça 007 Skyfall

O próximo filme do agente secreto James Bond enfim tem seu título, locações, elenco e sinopse revelados na coletiva de imprensa que aconteceu ontem em Londres no salão de festas do Corinthia Hotel às 11:45 da manhã.

Apresentado pelo produtor Michael G. Wilson o novo filme de 007 se chamará Skyfall e o signifiacado do título somente poderá ser compreendido após assistir ao filme que se passará em Londres, Xangai, Istambul e Escócia.

Prontos para responder as perguntas dos repórteres estavam Daniel Craig, Judi Dench, o diretor Sam Mendes, os produtores Michael G. Wilson e Barbara Broccolli além de Javier Barden, Bérénice Merlohe e Naomie Harris. O diretor Sam Mendes também confirmou a presença de Ben Whishaw, Albert Finney e Ralph Fiennes no elenco do novo filme da cinessérie mais longa da história.

Durante a meia hora que se seguiu, porém, muito pouco foi revelado. A atriz francesa Bérénice Merlohe interpretará uma personagem chamada Séverine e Naomie Harris uma agente de campo chamada Eve e não Moneypenny, secretária pessoal de M como se especulava. Ambas as atrizes disseram ter treinado para cenas de ação além de terem aprendido a atirar com metralhadoras. O espanhol Javier Bardem interpretará o vilão por enquanto sem nome da trama e mostrou uma boa química com Daniel Craig ao fazerem piadas um com o outro ao decorrer da coletiva.

Da esquerda para a direita: Javier Bardem, Bérénice Merlohe, Sam Mendes, Judi Dench, Daniel Craig, Naomie Harris, Barbara Broccolli e Michael G. Wilson

Vilão e herói

As Bond girls

Muito pouco foi revelado sobre o filme. A sinopse oficial diz: “Em Skyfall, a lealdade de Bond a M é testada quando o passado dela volta a assombrá-la. Com o MI6 sob ataque, 007 deve rastrear e destruir a ameaça, mesmo que isso tenha um custo pessoal.” Ao que tudo indica o filme explorará como nenhuma outra produção da franquia a lado emocional e possivelmente o passado dos personagens, o que é bem a cara de Sam Mendes, diretor de filmes como Estrada para a Perdição e Beleza Americana. O diretor disse que a harmonia estará no equilíbrio entre drama e ação.

O diretor também revelou que o filme seguira a linha já estabelecida pelos dois últimos filmes de 007, Cassino Royale e Quantum of Solace, porém a nova aventura do espião não tem qualquer ligação com os dois longas ou com qualquer dos romances escritos por Ian Fleming. Questionado sobre as famosas gadgets, Mendes disse com um sorriso maroto nos lábios que o filme trará algumas surpresas.

Quase ao final da coletiva Craig brincou com Bardem e tranquilizou o público feminino dizendo que tanto ele quanto o colega espanhol tirarão suas camisas em cena.

Passado um dia do anúncio oficial de Skyfall, o ator inglês Ralph Fiennes falou sobre sua participação na produção pela primeira vez. “Eu posso dizer que John Logan escreveu um roteiro fantástico e Sam Mendes tem classe. Eles estão fazendo algo muito especial. Eles serão ótimos para Bond.” Ralph Fiennes não disse se participará das cenas de ação. “Eu não posso responder a isso,” disse. “Mas com certeza eu não ficarei deitado.” Especula-se que Fiennes interpretará o arquinimigo de 007, Ernst Stavro Blofeld.

Ainda fazem parte da equipe de produção de Skyfall, Roger Deakins como diretor de fotografia, Jany Temime como figurinista, Dennis Gassner que volta  como cenógrafo após Quantum of Solace, Chris Corbould mais uma vez cuidará dos efeitos especiais, Alexander Wiit será diretor de segunda unidade e Tom Ford novamente será o alfaiate responsável por deixar James Bond tão elegante quanto letal. Neal Purvis, Robert Wade e John Logan são os roteiristas. A ideia central do filme é de Peter Morgan, roteirista responsável por filmes como A Rainha, O Último Rei da Escócia e Frost/Nixon.

Curiosamente a apresentção de Sean Connery como o ator que interpretaria James Bond em 007 contra o Satânico Dr. No se deu no dia 3 de novembro de 1961, exatamente cinquenta anos antes da confirmação de Skyfall.

As filmagnes de Skyfall começam em Londre no próximo dia 7 e tem estreia marcada para 26 de outubro de 2012 no Reino Unido e 9 de novembro nos Estados Unidos.

Assista a coletiva completa no Corinthia Hotel

Harrison Ford joga o novo Uncharted

No próximo dia 11 acontece o lançamento do aguardado Uncharted 3: Drake’s Deception e só para deixar os fãs com mais água na boca o veterano Harrison Ford foi convidado a jogar o game antes mesmo de seu lançamento. No vídeo com legendas em japonês é possível ver um dos maiores gigantes do cinema se divertir a valer com a mais nova aventura de Nathan Drake.

Indy no controle de Nathan Drake

Dizem por aí que a franquia Uncharted é uma cópia de Tomb Raider e do clássico Indiana Jones. Tomb Raider até hoje também é considerado uma cópia dos clássicos filmes oitentistas de Steven Spielberg. Mas quem se importa? Cada uma das três franquias acabou por criar um nome e uma reputação por si só.

Ah, falando em cópias, a seqüência onde Nathan Drake luta contra um homem de turbante com a porta de carga do avião aberta e depois tem de voltar para dentro enquanto a aeronave sobrevoa o deserto é uma cópia descarada de uma das principais cenas de ação de 007 Marcado para a Morte (The Living Daylights) de 1987 com Timothy Dalton interpretando James Bond pela primeira vez. Aparentemente Uncharted tem uma queda pelo cinema dos anos 80, mas chamemos isso de homenagem, que tal?

Harrison Ford joga Uncharted 3

 

007  Marcado para a Morte – luta no Hercules C-130

Russos? Javier Bardem? Carte Blanche? E agora sr. Bond?

Carte Blanche Jeffery Deaver James Bond novel Carte Blanche, the Pure Bond New Book Launched in London in Bond Style

Dois novos rumores surgiram hoje sobre a produção do próximo capítulo na franquia de James Bond. Pela manhã sites russos noticiaram que Javier Bardem já estaria contratado para interpretar um vilão em Bond 23. Durante meses Bardem foi ligado às adaptações do best seller de Stephen King, A Torre Negra para o cinema e para a televisão mas como o estúdio responsável resolveu manter o projeto na geladeira, Bardem que ainda continua ligado a produção ganhou um tempo livre em sua agenda o que talvez o tenha permitido aceitar o papel como antagonista de Daniel Craig, porém nada oficial foi dito ainda.

A outra notícia é que o filme já achou o seu título, e surpresa! O nome da próxima aventura de James Bond pode ser Carte Blanche! O título é o mesmo do novo romance do espião lançado esse ano pelas mãos do escritor  americano Jeffery Deaver. No romance, uma versão atualizada de James Bond tem de viajar para os Emirado Árabes e impedir um incidente internacional elaborado por um rico empresário. O livro ainda sem tradução no Brasil é no mínimo excelente tamanha originalidade empregada em sua concepção.

Mas deixando as obras literárias de lado, quem divulgou o título do filme foi a violoncelista sérvia Jelena Mihailovic, contratada pela produção para integrar a trilha sonora do filme depois de se apresentar no Festival de Cannes. A artista em entrevista ao site russo Blic Online deixou escapar a novidade, porém nada foi divulgado oficialmente, portanto fique com o pés atrás com as duas notícias.

James Bond vai para a Índia

Com a pré-produção do próximo filme de James Bond em andamento uma novidade acabou de surgir. A cena de ação que aconteceria na linha férrea de Sabarmati se confirmou assim como uma nova sequencia de perseguição de carros que acontecerá ao nordeste da província de Gujurat nas ruas de Ahmedabad.

Gujurat deixou para trás as locações rivais de Goa e Mumbai ao ser escolhida pela produção do até agora chamado Bond 23. O diretor Sam Mendes junto do núcleo de produção do filme visitaram Gujurat a cerca de dois meses. Ao lado de Mendes deviam estar os produtores Michael G. Wilson e Bárbara Broccolli além do cenógrafo Roger Deakins e a figurinista Jeny Temime, porém isso é apenas um palpite.

Pravesh Sahni integrante da India Take One Productions, que está cuidando da logística para a EON Productions falou ao jornal Times of India: “Nós preferimos Ahmedabad a Goa e Mumbai para a sequencia da perseguição de carro porque as ruas são mais aptas e porque o governo de Gujurat em nosso primeiro encontro prometeu apoio total.” A respeito da cena envolvendo a linha férrea Pravesh disse: “Para termos permissão de filmarmos uma sequencia de ação em um trem de Sabarmati nós nos encontraremos com o ministro da união dos transportes ferroviários nessa segunda-feira.”

Essa será a segunda aventura de James Bond a passar pela índia. A primeira vez do agente no país foi em 1983 no filme 007 contra Octopussy quando o espião ainda era encarnado por Roger Moore.

Ghost of Moscow: Death to Spies tem detalhes revelados

Ghot of Moscow: Death to Spies é um título exclusivo para Xbox 360 e PCs ainda por ser lançado no mercado. O game aborda o mundo da espionagam como nenhum outro game jamais fez, utilizando da sutileza em que esse universo tão fascinate de intrigas se baseia, mas também fazendo grande uso de ingredientes clássicos utilizados em games de James Bond, Splinter Cell e Metal Gear onde os corpos de inimigos abatidos devem ser escondidos para não levantar suspeita e claro o famoso pega-pega de espião contra espião, a jogabilidade stealth. Death to Spies também faz uso do que parece ser uma versão da Eagle Vision da série Assassin’s Creed e de disfarces que lembram o primeiro Missão Impossível lançado em 1998.

Desenvolvido pela 1C Company o game é uma festa para os olhos com cenários bem detalhados e veículos como Rolls Royces clássicos que ajudam o jogador a entrar no mundo classudo da espionagem internacional dos anos 50 e 60. O jogador pode controlar três personagens distintos, uma mulher chamada Olga, um homem com o nome de Viktor e o terceiro dessa lisa ainda não foi revelado. A ação deve passar por locações como Miami e Cuba e ter cerca de quinze horas de jogabilidade. Ghost of Moscow: Death to Spies será lançado ano que vem.

 

Veja vídeo de jogabilidade de Ghost of Moscow: Death to Spies