Arquivos do Blog

Sidewalk Stories

Dirigido por Charles Lane em 1989, “Sidewalk Stories” é o que se pode ser chamado de um filme cult. Totalmente remasterizado, o filme de baixo orçamento traz uma linguagem completamente diferente da utilizada pelo cinema na época em que foi lançado. Filmado em preto e branco e quase que inteiramente sem falas, o filme de Lane presta homenagem ao clássico “O Garoto” de Charles Chaplin.

Na trama, acompanhamos um artista de rua que vive de a desenhar as pessoas para sobreviver. Um dia ele se vê cuidando de uma garotinha cujo pai foi assassinado. O filme mostra o cotidiano sofrido do artista e da garotinha nas ruas de Nova York, daí o título “Sidewalk Stories”, ou em tradução livre, “Histórias da Calçada”. Em determinado momento momento o artista conhece e se apaixonada por uma bela mulher da alta sociedade, tendo de aprender a lidar também com o preconceito entre as classes.

Para ajudar a contar sua história, Lane dispensou os letreiros com as falas dos personagens que faziam parte dos filmes mudos de outrora. Ao invés disso, optou pelo uso ininterrupto e extremamente expressivo de músicas instrumentais para ajudar o espectador a compreender os sentimentos e pensamentos de seus personagens. Com planos sequencias em 2D, Lane desenvolveu todo um estilo exclusivo para “Sidewalk Stories”.

Restaurado pela Carlotta Films com apoio do Centre National du Cinéma et de l’Image Animée (CNC) e do L’Immagine Ritrovata de Bolonha, “Sidewalk Stories” ganhou o prêmio do público no Festival de Cannes no ano de seu lançamento.

Trailer

Anúncios

Russos? Javier Bardem? Carte Blanche? E agora sr. Bond?

Carte Blanche Jeffery Deaver James Bond novel Carte Blanche, the Pure Bond New Book Launched in London in Bond Style

Dois novos rumores surgiram hoje sobre a produção do próximo capítulo na franquia de James Bond. Pela manhã sites russos noticiaram que Javier Bardem já estaria contratado para interpretar um vilão em Bond 23. Durante meses Bardem foi ligado às adaptações do best seller de Stephen King, A Torre Negra para o cinema e para a televisão mas como o estúdio responsável resolveu manter o projeto na geladeira, Bardem que ainda continua ligado a produção ganhou um tempo livre em sua agenda o que talvez o tenha permitido aceitar o papel como antagonista de Daniel Craig, porém nada oficial foi dito ainda.

A outra notícia é que o filme já achou o seu título, e surpresa! O nome da próxima aventura de James Bond pode ser Carte Blanche! O título é o mesmo do novo romance do espião lançado esse ano pelas mãos do escritor  americano Jeffery Deaver. No romance, uma versão atualizada de James Bond tem de viajar para os Emirado Árabes e impedir um incidente internacional elaborado por um rico empresário. O livro ainda sem tradução no Brasil é no mínimo excelente tamanha originalidade empregada em sua concepção.

Mas deixando as obras literárias de lado, quem divulgou o título do filme foi a violoncelista sérvia Jelena Mihailovic, contratada pela produção para integrar a trilha sonora do filme depois de se apresentar no Festival de Cannes. A artista em entrevista ao site russo Blic Online deixou escapar a novidade, porém nada foi divulgado oficialmente, portanto fique com o pés atrás com as duas notícias.

Cannes não pára

A 64° edição do Festival de Cinema de Cannes acabou no último domingo tendo como o grande vencedor “A Árvore da Vida” do diretor Terrence Malick que levou para casa a tão cobiçada Palma de Ouro. Mesmo com o fim da premiação as notícias vindas direto da Riviera Francesa continuam a chegar.

O diretor dinamarquês Lars Von Trier que foi expulso do festival na quinta-feira por afirmar que compreendia Hitler partiu em defesa da mostra após o ministério da cultura iraniano fazer acusações alegando que o festival possui traços fascistas. O vice-minitro iraniano, Javad Shamaqdari acusou o evento de censura. Em nota emitida nesta segunda-feira (23), o governo iraniano aponta um “comportamento de traços fascistas” por parte do evento, que se manifestou contra a censura de Mahmoud Ahmadinejad.

Lars Von Trier aproveitou a situação para tentar mais uma vez esclarecer suas declarações polêmicas e disse em comunicado: “Na minha opinião, a liberdade de expressão faz parte, em qualquer forma, dos direitos humanos fundamentais. No entanto, meus comentários durante a entrevista coletiva foram pouco inteligentes, ambíguos e necessariamente ofensivos”. Não satisfeito Von Trier continuou.  “O que eu queria dizer era que o potencial da extrema crueldade está dentro de cada ser humano, seja qual for sua nacionalidade, raça, categoria ou religião”. “Se só explicarmos os desastres nos baseando na crueldade dos indivíduos, destruiremos a possibilidade de entendimento dos mecanismos humanos, peça necessária para evitar futuros crimes contra a humanidade”.

Uma outra notícia, esta mais leve e de teor cômico vinda de Cannes foi que Robert De Niro, presidente do juri do festival enroscou-se na pronúncia ao tentar dizer parte de seu discurso na noite da premiação em francês.

“Foi uma bela experiência… ‘avec la champignon’… ‘avec la… champignon’ do júri”, atrapalhou-se o ator tirando boas risadas da platéia, isso porque De Niro confundiu-se ao trocar a palavra “companhia” com “champignon” que na verdade é cogumelo em francês.

De Niro no momento de sua gafe junto da atriz Melanie Laurent

O ator veterano e idealisador do seu próprio festival de cinema, o Tribeca, comentou depois da cerimônia que o contou na escolha dos vencedores foi o drama mostrado na tela e não aqueles que transcorrera em seus bastidores. O protagonista de filmes como “Touro Indomável”, “Taxi Driver”, “Cassino” e “O Poderoso Chefão parte II” com tal frase se referiu aos escândalos que ocorreram durante esta edição do festival, como foi o caso de Lars Von Trier.

Lars Von Trier é expulso do Festival de Cannes

O diretor dinamarquês Lars Von Trier se diz chocado com a situação de ter sido expulso nesta quinta-feira do Festival de Cinema de Cannes. O cineasta que estava no festival para divulgar seu novo filme “Melancolia” fez durante uma coletiva de imprensa uma brincadeira declarando que era nazista e que simpatizava com um dos homens mais tiranos que já pisou na história, Adolph Hitler. Ao seu lado a protagonista de “Melancolia”, Kirsten Dunst, assim como todos os presentes não puderam acreditar no que declarou o diretor. Eis o que o cineasta disse: “Eu entendo Hitler, embora compreenda que fez coisas equivocadas. Só estou dizendo que entendo o homem, não é o que chamaríamos de um bom homem, mas simpatizo um pouco com ele”.

As palavras do polêmico cineasta causaram um rebuliço sem igual e o seu filme foi considerado pelo festival como persona non grata, o que não o tirava da premiação, porém horas depois a decisão de retirar Von Trier foi anunciada.

“Estou muito além de decepcionado, estou muito farto da história inteira”, disse Von Trier de seu quarto de hotel ao jornal inglês Reuters. Von Trier admitiu que agiu de modo pouco profissinal ao brincar com o assunto, dando-se liberdade para isso devido a sua descendência judaica e alemã. “Eu penso que estou conversando com meus amigos no café, e, de repente percebo que estou falando com o mundo, que não acha graça nenhuma”.

Kirsten Dunst tentou fugir da perseguição dos jornalistas que se deu logo após o término da coletiva, mas pressionada por eles a atriz procurou não adentrar muito no assunto e apenas declarou que ninguém pode simplesmente dizer de “brincadeira” que é nazista. Em seguida tentando amenizar para o lado do diretor disse que fazer piadas é uma das características mais marcantes de Von Trier.

Kirsten Dunst em Cannes


Charlotte Gainsbourg que também está no filme cancelou toda a sua agenda de entrevistas alegando indisposição.

Com toda essa confusão “Melancolia” ficou esquecido. Não se sabe se as declarações de Von Trier foram inocentes ou tinham o intuito de chamar a atenção para seu filme, de qualquer modo as palavras infelizes do cineasta aparentemente o prejudicaram, mas é bem provavel que a expectativa para assistir “Melancolia” cresça, e não existe nenhum nazista nele, já que o filme mostra o distanciamento de duas irmãs antes da destruição da Terra que se choca com um outro planeta.

Veja as polêmicas declarações de Lars Von Trier


Trailer: “Melancolia”