Arquivos do Blog

Os Vingadores

Os Vingadores nos mostra o ápice de uma evolução cinematográfica que começou em 2008 quando os estúdios Marvel lançaram o seu primeiro filme, Homem de Ferro. Aparentemente o filme parecia apenas mais uma adaptação de quadrinhos para a telona, mas depois da cena pós-créditos onde Nick Fury surge na morada de Tony Stark para discutir sobre a chamada Iniciativa Vingadores a humanidade pode ter o primeiro vislumbre de um novo universo que se formava. Era como se tudo o que viera antes em adaptações do gênero tivesse sido apenas uma catapulta, como a peça de um foguete que se solta no espaço.

Os integrantes deste foguete mais que cinematográfico se apresentaram nos anos subsequentes; O Incrível Hulk, Homem de Ferro 2, Thor e Capitão América – O Primeiro Vingador. Combinados os filmes servem como uma ponte onde sua sustentação é sempre as cenas pós-créditos de cada um. Do outro lado da ponte, os heróis mais poderosos da Terra.

Na trama de Os Vingadores, Loki, considerado morto após a batalha contra Thor é resgatado pela raça alienígena Chitauri que lhe concede o direito de liderar seu exército contra a Terra e recuperar o Cubo Cósmico. Em retribuição Loki estaria livre para dominar os humanos e se tornar rei de Midgard (Terra).

Após chegar causando destruição e morte, somos reapresentar a cada um dos Vingadores, primeiramente com o filme focando-se na discordância e na lavação de roupa suja de cada um, afinal todo mundo sabe que todo super-herói antes de se dar bem com o outro tem que ter um belo arranca rabo.

Finalmente em posse do Cubo Cósmico, Loki abre o portal para a outra dimensão onde o exército extraterrestre espera para dar início a guerra contra a humanidade.

Misto da aventura que deu origem ao grupo de Stan Lee e Jack Kirby lá em 1963 com elementos retirados de Os Supremos de Mark Millar e Bryan Hitch mais a escrita original e meticulosa de Joss Whedon, o mesmo do não tão bem sucedido Serenity – A Luta pelo Amanhã, Os Vingadores simplesmente é um filme sem falhas. Whedon também foi o criador do seriado Buffy e com  certeza foi sua destreza em conseguir conciliar a quantidade exagerada de personagens de um roteiro de duas horas como estes sem que um personagem se sobreponha ao outro que o trouxeram para a Iniciativa Vingadores de Kevin Feige, presidente dos estúdios Marvel.

Os Supremos

O maior medo dos fãs era que uma produção com tantos personagens acabasse simplesmente não dando certo e alguns deles não tivessem o verdadeiro destaque que merecem, esse medo imperou principalmente em relação a Viúva Negra e ao Gavião Arqueiro que não tiveram seus filmes solo (ainda) e apareceram somente nas produções dos outros Vingadores, a Viúva em Homem de Ferro 2 onde a personagem apenas fez sucesso por ser interpretada por Scarlett Johansson, pois no filme do Vingador Dourado a espiã não trazia quase nenhuma referência das HQs. Já o Gavião fez uma ponta em Thor. Mas tal medo não se concretizou e ambos os personagens se mostram relevantes para a trama quanto qualquer outro, tendo seu valor e peso dentro de suas próprias narrativas quanto na principal.

Outro que não fez feio, ou melhor, fez muito bonito foi o Hulk na pele verde de Mark Ruffalo que também deu vida ao monstrengo na captura de movimentos. O Gigante Esmeralda é tão fiel em personalidade quanto em aparência, o que deixa a dúvida, será que Mark Ruffalo é mesmo o Hulk? Brincadeiras à parte, a construção e interpretação do Hulk e de seu alter ego Bruce Banner conquistam fácil, mas apagar da memoria as lembranças enjoativas da versão de Ang Lee interpretada por Eric Bana de 2003 é algo que ainda vai levar algum tempo. Mesmo o Hulk de 2008 da Marvel tinha algo faltando que no Hulk de Ruffalo e Whedon tem em sobra, talvez seja a união de verdadeira mostruosidade com humor, já que o personagem é o maior resposável pelas cenas engraçadas do filme que permeiam toda a produção mas sem perder o tom característico alcançado por Whedon.

Viúva Negra e Hulk em Os Vingadores

Com o Capitão América, Homem de Ferro e Thor não há muito o que inventar, apenas a excitação de os ver novamente em ação. Chris Evans aqui é tão Capitão América quanto foi no filme do ano passado, se mostrando menos sentimental e mais bruto, principalmente com Tony Stark que como sempre não para quieto, acabando com a paciência do Bandeiroso.

Robert Downey Jr. E Chris Hemsworth reprisam seus papeis como Homem de Ferro e Thor respectivamente. Ao lado deles está Tom Hiddleston, o Loki, tão perverso e elegante quanto esteve no filme de seu irmão em 2011. Samuel L. Jackson e Clark Gregg também estão de volta reprisando seus papeis como Nick Fury, diretor da SHIELD e Gregg como o carismático agente Coulson. Junto da dupla se junta Colbie Smulder encarnando Maria Hill, a braço direito de Fury.

Os Vingadores conclui a primeira etapa dos planos da Marvel de criar seu próprio universo cinematográfico totalmente interligado em uma espécie de cronologia quase orgânica, tão viva que se tornou. Enquanto que o primeiro Homem de Ferro pode ser considerado o marco zero que culminou com Os Vingadores, Homem de Ferro 3 que sai ano vem marca o início de uma segunda etapa que seguirá até Os Vingadores 2.

Os Vingadores foi um dos eventos mais aguardados de 2012, o outro é o fim do mundo no final do ano. Pura balela, é claro, mas mesmo que seja verdade a humanidade pode se acabar mais do que satisfeita, pois acaba de realizar o seu maior feito, o feito para a qual milênios e milênios de evolução se destinaram. Se bem que se o mundo acabar não vai haver a continuação… E agora, quem poderá nos salvar? Avante Vingadores!

Trailer

Daniel Craig com a corda no pescoço

Notícia vai, notícia vem… estava de olho escolhendo com carinho qual seria a primeira postagem de 2012 aqui no nosso espaço loucura que é o Chico Louco e eis que me lembrei daquela velha frase: “a vida imita a arte ou a arte imita a vida?” Aqui vai um exemplo de como a arte imita a arte, inspirada na vida… que confusão! Bom, vamos direto ao que interessa então.

Um caso bizarro de realismo que se encaixa no tal dito acima transcrito vem direto de Os Homens que não Amavam as Mulheres de David Fincher. Há uma determinada cena em que o personagem de Daniel Craig, o jornalista Mikael Blomkvist é algemado e amarrado, pendente do teto e todo seu rosto é envolto em papel filme.

“A primeira noite em que o erguemos, o coordenador de dublês disse: ‘Daniel precisa ficar com essa coisinha de metal na mão, se ele começar a perder a consciência ele pode cortar o plástico da boca,’” disse Fincher ao Chicago Sun Times.

“Acontece que agir como se estivesse sufocando não é muito diferente de realmente estar sufocando. Então ia ser dificil notar, por isso ele precisava da coisinha de metal.” Daniel foi amarrado e enrolado. “Havia até uma palavra de segurança se eu estivesse com com problemas!”, revelou o ator. De acordo com David fincher a tal palavra era: “Unnnnhhh!”

“A vida imita a arte ou a arte imita a vida?”

Fincher estava vendo a cena no monitor quando ouviu um estranho “ting, ting, ting.”

“Todo mundo entrou correndo porque aparentemente eu tinha desmaiado”, diz Craig. Sobre o relatório de produção foi: Vamos Daniel ir 15 minutos mais cedo devido à inconsciência’.”

Os Homens que não Amavam as Mulheres estreia aqui no Brasil em 27 de janeiro, apesar de já estar em cartaz desde antes do natal nos Estados Unidos e Inglaterra. Para as 2 continuações o diretor pretende rodá-las juntas assim como aconteceu com Matrix Reloaded e Matrix Revolutions e Piratas do Caribe e o Baú da Morte e Piratas do Caribe no Fim do Mundo.

Conheça 007 Skyfall

O próximo filme do agente secreto James Bond enfim tem seu título, locações, elenco e sinopse revelados na coletiva de imprensa que aconteceu ontem em Londres no salão de festas do Corinthia Hotel às 11:45 da manhã.

Apresentado pelo produtor Michael G. Wilson o novo filme de 007 se chamará Skyfall e o signifiacado do título somente poderá ser compreendido após assistir ao filme que se passará em Londres, Xangai, Istambul e Escócia.

Prontos para responder as perguntas dos repórteres estavam Daniel Craig, Judi Dench, o diretor Sam Mendes, os produtores Michael G. Wilson e Barbara Broccolli além de Javier Barden, Bérénice Merlohe e Naomie Harris. O diretor Sam Mendes também confirmou a presença de Ben Whishaw, Albert Finney e Ralph Fiennes no elenco do novo filme da cinessérie mais longa da história.

Durante a meia hora que se seguiu, porém, muito pouco foi revelado. A atriz francesa Bérénice Merlohe interpretará uma personagem chamada Séverine e Naomie Harris uma agente de campo chamada Eve e não Moneypenny, secretária pessoal de M como se especulava. Ambas as atrizes disseram ter treinado para cenas de ação além de terem aprendido a atirar com metralhadoras. O espanhol Javier Bardem interpretará o vilão por enquanto sem nome da trama e mostrou uma boa química com Daniel Craig ao fazerem piadas um com o outro ao decorrer da coletiva.

Da esquerda para a direita: Javier Bardem, Bérénice Merlohe, Sam Mendes, Judi Dench, Daniel Craig, Naomie Harris, Barbara Broccolli e Michael G. Wilson

Vilão e herói

As Bond girls

Muito pouco foi revelado sobre o filme. A sinopse oficial diz: “Em Skyfall, a lealdade de Bond a M é testada quando o passado dela volta a assombrá-la. Com o MI6 sob ataque, 007 deve rastrear e destruir a ameaça, mesmo que isso tenha um custo pessoal.” Ao que tudo indica o filme explorará como nenhuma outra produção da franquia a lado emocional e possivelmente o passado dos personagens, o que é bem a cara de Sam Mendes, diretor de filmes como Estrada para a Perdição e Beleza Americana. O diretor disse que a harmonia estará no equilíbrio entre drama e ação.

O diretor também revelou que o filme seguira a linha já estabelecida pelos dois últimos filmes de 007, Cassino Royale e Quantum of Solace, porém a nova aventura do espião não tem qualquer ligação com os dois longas ou com qualquer dos romances escritos por Ian Fleming. Questionado sobre as famosas gadgets, Mendes disse com um sorriso maroto nos lábios que o filme trará algumas surpresas.

Quase ao final da coletiva Craig brincou com Bardem e tranquilizou o público feminino dizendo que tanto ele quanto o colega espanhol tirarão suas camisas em cena.

Passado um dia do anúncio oficial de Skyfall, o ator inglês Ralph Fiennes falou sobre sua participação na produção pela primeira vez. “Eu posso dizer que John Logan escreveu um roteiro fantástico e Sam Mendes tem classe. Eles estão fazendo algo muito especial. Eles serão ótimos para Bond.” Ralph Fiennes não disse se participará das cenas de ação. “Eu não posso responder a isso,” disse. “Mas com certeza eu não ficarei deitado.” Especula-se que Fiennes interpretará o arquinimigo de 007, Ernst Stavro Blofeld.

Ainda fazem parte da equipe de produção de Skyfall, Roger Deakins como diretor de fotografia, Jany Temime como figurinista, Dennis Gassner que volta  como cenógrafo após Quantum of Solace, Chris Corbould mais uma vez cuidará dos efeitos especiais, Alexander Wiit será diretor de segunda unidade e Tom Ford novamente será o alfaiate responsável por deixar James Bond tão elegante quanto letal. Neal Purvis, Robert Wade e John Logan são os roteiristas. A ideia central do filme é de Peter Morgan, roteirista responsável por filmes como A Rainha, O Último Rei da Escócia e Frost/Nixon.

Curiosamente a apresentção de Sean Connery como o ator que interpretaria James Bond em 007 contra o Satânico Dr. No se deu no dia 3 de novembro de 1961, exatamente cinquenta anos antes da confirmação de Skyfall.

As filmagnes de Skyfall começam em Londre no próximo dia 7 e tem estreia marcada para 26 de outubro de 2012 no Reino Unido e 9 de novembro nos Estados Unidos.

Assista a coletiva completa no Corinthia Hotel

Trailer: Os Vingadores

 

Enfim chegou o trailer do esperadíssimo filme de Os Vingadores. A película que reúne os maiores super-heróis do universo Marve lnas telonas tem estreia marcada para 4 de maio de 2012. Na trama, Capitão América, Homem de Ferro, Thor, Hulk, Viúva Negra e Gavião Arqueiro devem enfrentar Loki, o deus da travessura, filho de Odin e irmão de Thor. Na cola do vilão um exército de… até o momento ninguém sabe quem serão os seguidores do vilão. Muitos especulam pelos Skrulls. O jeito é esperar para ver.

No elenco estão Chris Evans, Robert Downey jr, Chris Hensworth, Mark Ruffalo, Scarlett Johansson, Jeremy Renner, Tom Hiddleston, Clark Gregg, Colbie Smulders, Amanda Riguetti e Samuel L. Jackson.

Trailer
Os Vingadores

 

crítica: tropa de elite 2

É possível se contar nos dedos os filmes feitos em território nacional que realmente valham a pena serem assistidos. O novo Tropa de Elite definitivamente é um desses filmes.

Assim como o primeiro filme que foi o maior sucesso de vendas de cópias piratas e que levou o Urso de Ouro no Festival de Berlim em 2008 e deixou muita gente de cara virada, Tropa de Elite 2 promete um sucesso igual ou ainda maior. Diferente da película de 2007 o novo Tropa muda sua visão preta e branca entre policiais e traficantes para diversos tons de cinza. Para quem gostou de ver bandido apanhando e levando bala no outro filme vai adorar este aqui e também vai se  revoltar com algumas cenas onde parece que o peito vai explodir, tanta é a adrenalina bombeada na corrente sangüínea, seja por um sentimento bom ou ruim, mas é para isso mesmo que serve o cinema.

Na película, conduzida com maestria por José Padilha, mesmo diretor do anterior, o protagonista comandante Roberto Nascimente, novamente encarnado por Wagner Moura tem de enfrentar um novo inimigo depois de ter passado por cima do tráfico de drogas dos morros cariocas. As milícias e a politicagem corrupta.

A história se desenvolve dez anos depois do filme original. Nascimento se tornou comandante geral do BOPE, mas após um fiasco no presídio de Bangu I, no Rio de Janeiro é exonerado do BOPE e passa a ser Sub Secretário de Inteligência. É desse novo posto, onde a farda preta é substituída pela vestimenta de terno e gravata que Nascimento desfere um golpe fatal no tráfico de drogas, transformando seu antigo batalhão de “Caveiras” em uma verdadeira máquina de guerra. Mas o que Nascimento não percebeu foi que seu inimigo era ainda mais perigoso e difícil de se agarrar.

As milícias, facções formadas por policiais corruptos que vendem proteção contra si mesmos aos moradores dos morros são o novo tormento de Nascimento, e eles não estão sozinhos, já que uma boa corja de políticos está na cola dos militantes, que arrecadam, por assim dizer, os votos dos moradores das comunidades para os safados de colarinho branco de Brasília.

Nascimento no final das contas tem de juntar forças com o deputado Diogo Fraga, admiravelmente interpretado por Irandhir Santos, que no passado destruiu sua carreia no BOPE na operação anteriormente citada de Bangu I como um miltante dos Direitos Humanos e agora atual marido de Rosane, ex-mulher de Nascimento interpretada por Maria Ribeiro. Juntos eles batem de frente com o sistema, em uma guerra que nas palavras do próprio Nascimento será muito longa mas não impossível de ser ganha.

O filme porém não faz uma crítica superficial à política. É algo bem mais profundo que mostra a degradação do homem corrompido pela boa vida que o dinheiro fácil e manchado de sangue pode proporcionar.

O orçamento de Tropa de Elite 2 foi milionário e o filme foi feito realmente para as telonas com tudo o que uma excelente produção tem que ter. Tudo funciona com harmonia, como o mecanismo de um relógio, desde anglos de câmera, falas bem elaboradas e uma perfeita sincronização do timing de cada cena.

No elenco escolhido a dedo estão ainda André Ramiro que reprisa seu papel como o capitão André Matias, Sandro Rocha como o desprezível Major Rocha, o músico Seu Jorge como o presidiário Beirada, André Mattos como o hilário e repugnante apresentador de televisão Fortunato que é livremente inspirado no apresentador Datena, Milhen Cortaz como Tenente-Coronel Fábio Barbosa, o Nº 2 do filme anterior. Emilío Orciolo Neto e a belíssima e talentosa Tainá Müller também fazem parte dos grande astros do filme.

Aqui está tudo o que você precisa saber sobre Tropa de Elite 2, aquele tipo de filme que faz quem é aficcionado por cinema sentir orgulho de ser brasileiro. E isso realmente vale muito.

Veja o trailer abaixo.

Blake Lively em novo filme de Ben Affleck

Atração Perigosa(The Town ) é o novo filme de Ben Affleck, onde o astro dirige, estrela e co-escreve ao lado dos roteiristas Peter Craig e Aaron Stockard. O filme é baseado na novela policial de Chuck Hogan do original em inglês Prince of Thives, ou Principe dos Ladrões. O filme estreiou no último dia 17 nos Estados Unidos recebendo 95% de críticas positivas. A trama se passa em Boston, o que vem sendo freqüênte em muitos filmes policiais nos últimos anos, o que criou um espécie de sub-gênero. Um grupo de quatro amigos que se conhecem desde pequenos resolvem roubar um banco, é este o ponto de partida para a hístoria, onde um dos assaltantes, Doug MacRay(Ben Affleck) se apaixona pela gerente do banco(Rebecca Hall), mantida por eles refêm e tendo que competir por ela com um agente do FBI vivido Jon Hamm. Blake Lively vive Krista Coughlin, ex-namorada de Doug que tem com ele uma filha de um ano e meio. O filme estréia por aqui no dia 26 de novembro e conta também no elenco com Jeremy Renner, Chris Cooper e Pete Postlethwaite.

Entrevista com Oliver Stone, diretor do novo Wall Street

wallstreet2_05

Da esquerda para a direita: Josh Brolin, Oliver Stone, Michael Douglas, Shia LeBouf e Carey Mulligan

Nesta sexta-feira, 24, é a estréia do tão aguardo Wall street: O dinheiro nunca dorme(Wall Street: Money never sleeps). Em um post anterior já apresentei a sinópse da película assim como os astros  que a estrelam. Agora reproduzo aqui uma conversa com o diretor Oliver Stone sobre o filme feita pelo site americano Collider durante entrevistas sobre sua série-documentário Secret History of America. O filme ainda estava em processo de edição. Aproveitem.

Você poderia comentar sobre o estado atual da indústria cinematográfica?

Está muito bem, com certeza. Melhor que no ano passado e no ano retrasado. Sempre há mudanças, de um ano para outro, mas acho que os cineastas ainda precisam lidar com as estatísticas de grandes corporações para fazer esses ótimos filmes.

Você acha que parte desse bom momento é por causa do avanço tecnológico?

Ah, é maravilhoso, incrível. [James] Cameron desbravou um novo território. Ele é um visionário.

Você gostaria de algum dia fazer um filme tão grande?

Se eu pudesse. Acho que ele é um gênio. Eu tenho um tipo diferente de força. Apesar de eu já ter feito alguns trabalhos impressionantes, tecnicamente, e ainda posso te surpreender, ele realmente fez aquilo que Cecil B. DeMille fez há tantos anos.

Você faria um filme em 3-D?

Não tenho nada contra. É uma ótima ideia, se for bem utilizado. Mas não em um filme sobre vida doméstica.

Como você escolhe seus projetos?

Escolho caso a caso, sinceramente. Também é uma questão de como foi o ano, como eu me sinto e se tenho energia para o projeto, e todas essas questões.

O que você tem a dizer sobre o cenário financeiro em Wall Street 2?

Oliver Stone: Não posso te contar muita coisa, porque esse não é o assunto principal desta entrevista. Mas tive uma ótima experiência fazendo o filme, aprendi muito. Me diverti, de verdade. E muita coisa mudou em Wall Street.

Você algum dia imaginou que faria uma continuação para um de seus filmes, já que normalmente você não faz isso?

Não, nunca tinha pensado nisso. Passaram-se 22 anos, não é? Você não espera tanto tempo para fazer uma continuação. Wall Street mudou muito nesse período, e se tornou uma história interessante de novo.

Como as circunstâncias do mundo real afetaram o filme durante o processo? Você fez mudanças durante as filmagens?

Ah, fizemos muita pesquisa. Estávamos na rua, todos os dias. Víamos pessoas e, claro, ouvíamos o máximo possível. E também temos o ponto de vista dos banqueiros.

Como foi voltar a trabalhar com Michael Douglas e trazê-lo de volta a um dos personages mais icônicos que ele já fez?

Foi interessante e acho que ele realmente entrega uma versão interessante do Gordon Gekko 22 anos depois. Não é mais o mesmo homem. O tempo o fez sofrer. Além disso, eu também diria que Shia LaBeouf é a motivação do filme, já que ele é o jovem que está aprendendo.

Tem alguma coisa que ainda não sabemos sobre Wall Street 2? A história vai ter reviravoltas?

Vai ter algumas reviravoltas, e não quero estragar nada.

Você conseguiu incluir Charlie Sheen em algum momento do filme?

Charlie faz uma participação, sim.

As pessoas não apenas odiavam Gordon Gekko, como também o admiravam. Que cuidados você teve que tomar ao atualiar o personagem dele?

Ah, nada é sagrado para mim. Aliás, eu gosto de ir na direção contrária.

Vocês filmaram em Nova York?

Sim, filmamos tudo em Nova York.

O que você achou de diferente em Wall Street, dessa vez?

Ah, tudo é mais computadorizado e mais jovem. As pessoas se queimam e saem do ramo mais rápido. Há muito mais dinheiro e os computadores fazem boa parte do trabalho. Muito é feito por inteligência artificial.

Como você acha que os livros de história vão representar este momento que estamos vivendo agora, do fim do governo Bush até a época do Obama e os problemas da economia?

O mito apareceu. Não posso detalhar muito o que eu acho que vai acontecer. Estamos presos em um regime de segurança nacional e entender como chegamos aqui é crucial porque isso determina todo o debate nos Estados Unidos.

Você acha que o otimismo com o Obama foi errado?

Espero que não. Acho que ele é um homem muito inteligente e estou esperançoso e torcendo por ele. Obviamente, estou muito desapontado. Fui muito claro sobre o que eu acho sobre as ações dele no Afeganistão. Mas ele ganhou e só imagine se o McCain estivesse na Casa Branca. É só isso que eu tenho a dizer.