Arquivos do Blog

Futebol magnata

Que o futebol anda cada vez mais controlado por grandes empresários, todos nós estamos carecas de saber. Mas o que pouca gente sabe,ou nunca parou pra pensar, é que isso vai além das quatro linhas de campo.
O recente caso no Palmeiras envolvendo Felipão e Tinga é um grande exemplo do que mais ou menos acontece. Vamos explicar:
O Palmeiras tem grande parte dos jogadores (a maioria da base), empresariados pelo grudo DIS, pertencente ao poderoso Delcyr Sonda, incluíndo o jovem atacante Vinícius. Recentemente, a Udinese fez uma proposta para o jogador considerada muito boa por parte da diretoria e principlamente pelo Felipão, que não vem aproveitando o garoto. Porém, a DIS recusou a proposta, irritando Felipão. Depois disso, o técnico alviverde saiu disparando duras críticas à essas empresas que administram o passe do jogador, monopolizando a vontade do grupo e as vezes deixando clube e jogador na mão. Então Felipão teve a idéia de remar contra essa mare brava. Para tentar mostrar que quem manda no clube é o técnico, ele afastou o volante Tinga, também pertencente ao grupo DIS. Assim, a polêmica foi lançada. O jogador nem foi relacionado para o banco de reservas, ficou chateado, surgiram boatos até de que ele estaria chorando por causa disso.
Agora pergunto: quem está certo?
Confesso não ter uma opinião formada, afinal, todos nós sabemos o câncer que é ter um clube com metade ou maioria dos jogadores empresariados por essas empresas magnatas. Quem não se lembra, no próprio Palmeiras, quando o Cleiton Xavier, que pertencia a Traffic, foi vendido do dia para a noite para um clube desconhecido da Ucrânia? Isso porque o Palmeiras tinha jogos importantes na sequencia. E agora mesmo, quando a própria DIS tentou tirar Paulo Henrique Ganso do Santos porque ele não estava jogando?
Por outro lado, Felipão não tinha a necessidade de fazer isso com o garoto Tinga, pois apesar de tudo isso, ele não tem culpa de ter acontecido esses problemas. Mas em defesa de Felipão, Tinga não vinha jogando bem.
Será essa a solução para o problema?
Vale lembrar que o Palmeiras ainda tem 20 jogadores da base pertencentes à DIS. (20, isso mesmo)
Ninguém sabe como isso vai acabar, se terá uma solução boa para ambos os lados, mas de uma coisa temos certeza: o futebol de hoje é manchado pelo dinheiro de grandes empresários!