Arquivos do Blog

O novo Two and a half Men

O texto a seguir é recheado de spoilers. Nele estão as primeiras impressões da nova roupagem dada a série Two and a Half Men que entra em seu nono ano de exibição. Se você ainda não assistiu ao novo episódio que também pode ser visto como um recomeço para a série e não quer quer estragar a surpresa não continue lendo.

Foi ao ar ontem pela CBS o primeiro episódio da nova temporada de Two and a Half Men, intituladao “Nice to meet you, Walden Schmidt”. Este foi entre os 178 episódios exibidos até hoje o primeiro sem a presença de Charlie Sheen, astro da série. Com o passar dos meses todo mundo ficou sabendo da saída de Charlie do seriado deviado a desavenças como o produtor Chuck Lorre, que Ashton Kutcher assumiria seu lugar e que o personagem homônimo de Charlie morreria sob circuntâncias misteriosas em Paris durante sua lua de mel com Rose, personagem de Melanie Lynskey onde Charlie “cai” na linha do trem em um metrô parisiense. O caixão estava fechado o que impossibilitou que as mais ressentidas cuspissem no falecido. De acordo com Rose o corpo de Charlie “explodiu como um balão cheio de carne.” Mas todos sabemos que o caixão estava fechado porque Chuck Lorre não chamaria Charlie Sheen para participar do episódio.

Na cena inicial do velório de Charlie Harper o episódio contou com a participação de várias ex-namoradas do personagem que passaram por sua cama nos últimos 8 anos. Estavam lá atrizes do calibre de Jerry Ryan, Emmanuelle Vangier e Katherine LaNaza. Lisa, personagem marcante na vida de Charlie interpretadas por Denise Richards não estava presente. Denise Richards é ex-esposa de Charlie Sheen e talvez esteja ressentida com chuck Lorre pelo marido, isso se um convite para a participação da atriz realmente aconteceu. O episódio também conta com uma participação relâmpago de John Stamos como um companheiro de noitadas de Charlie. Fica evidente o esforço dos produtores de reunir ao mesmo tempo tantos nomes de peso para alavancar a audiência.

Jerry Ryan

 

Denise Richards & Charlie Sheen

 

O episódio serve para apresentar Ashton Kutcher ao público. Seu personagem, Walden Schmidt, é um bilionário extremamente romântico que teve o coração partido. Walden parece ser uma versão menos miolo molo de Jake e que assim como Charlie consegue mesmo sem querer conquistar as mulheres a sua volta o que deixa Alan a vagar (como sempre) na rua das Palmas nº5.

Ao todo a essência se mantém a mesma: Alan continua sendo um fracassado, Jake só pensa em comida e Evelyn a mesma parasita gananciosa de sempre. Os bermudões, os charutos, os litros de álcool e o humor negro das ironias venenosas de Charlie Harper foram jogado fora para dar espaço a um humor digamos, mais inocente e espalhafatoso no estilo que era Thats’ 70s Show que também contava com a presença de Ashton Kutcher.

O episódio teve a maior audiência da história da série prendendo 27,5 milhões de pessoas diante da tevê. O resultado foi bom, mas vamos ver a quantas essa carruagem vai andar daqui para frente sem a presença de Charlie e suas incontáveis parceiras de booty call.

Uma hora antes da exibição do episódio foi exibido o Central Roast of Charlie Sheen, programa onde o ator foi colocado na berlinda e durante uma hora foi insultado e vitimado por piadas pesadas de outras celebridades. O primeiro episódio da nona temporada de Two and a Half Men já está disponível para download ou pode ser visto pelo Youtube, já Central Roast of Charlie Sheen foi retirado da web.

 

Two and a Half Men – 9ª temp./ep.: 1 – “Nice to meet you, Walden Schmidt”

Anúncios

Vamos aplaudir!

Durante anos, o futebol brasileiro vem sendo desvalorizado. As atenções mundiais estão sempre voltadas aos grandes campeonatos europeus. O dinheiro sempre seduz os jogadores de destaque, não só do Brasil, mas de outros países que não conseguem segurar suas revelações, que acabam se transferindo cada vez mais cedo para um grande clube europeu.
Recentemente, algo me deixou muito feliz. Fez crescer uma esperança em meu coração, que o futebol brasileiro se valorize. Falando abertamente, faz tempo que o nível do Brasileirão é muito maior que qualquer liga européia. E vou citar o recente caso Santos, Chelsea e Neymar.
O clube inglês tentou, ofereceu uma grana absurda, o Santos não queria de jeito nenhum, mas cabia ao garoto Neymar e seus empresários a decisão. Após longas conversas e até conselhos do rei Pelé, Neymar FICA!
O Santos apresentou um projeto de alto nível, querendo valorizar o jogador e consequentemente, o futebol brasileiro. O objetivo é fazer Neymar virar um mito dentro do clube, quem sabe como Marcos é no Palmeiras e Rogério Ceni é no São Paulo. Será difícil, pode ser que no futuro ele deixe o clube por uma grana mais pesada ainda, mas no momento o Santos conseguiu. Não sou santista, mas fiquei muito feliz. Mostra que o futebol brasileiro tem sua identidade e sua honra e que podemos aumentar MUITO o nível. E o clube da baixada santista ainda quer fazer o mesmo com Ganso. E espero que consigam.
Ainda sonho ver um jogador atuando no Brasil ser eleito o melhor do mundo.
E que sirva de lição à todos os clubes e à todos os jogadores.
O Santos ganhou mais uma, dessa vez, fora de campo.