Pelada, Futebol na Favela

Depois da breve apresentação do diretor Alex Miranda, que fez com que a criançada que protagoniza seu documentário se aquietasse em suas poltronas, é com a bola no pé que o documentário “Pelada, Futebol na Favela” entra em cena.

A produção acompanha o sonho de garotos de uma favela que almejam se tornar jogadores de futebol profissionais. Além dos relatos tocantes dos meninos, o documentário também conta com a presença de craques como Ronaldo Fenômeno, Neymar, Emerson Sheik, Vampeta, Luis Fabiano e Serginho Chulapa, além de entrevistas com comentaristas esportivos como Juarez Soares, Neto e Silvio Luiz. Enquanto contam suas experiências antes e depois da fama, os jogadores e especialistas destacam as diferenças entre a boa e velha pelada praticada nos campos de areia ou no asfalto, com o futebol de escolinhas e o esporte dentro dos estádios.

Embalado por uma trilha composta por funk, samba e rap, “Pelada, Futebol na Favela” não conta nada de novo em sua uma hora e quarenta minutos de duração. A impressão que se tem é a de estar assistindo um quadro dramático de um programa dominical, só que três vezes maior. O documentário apresenta fatos há muito conhecidos, e no máximo tenta se aprofundar em uma ou duas histórias, como a de Tonico, um senhor de idade que foi um grande goleiro da comunidade em que vive, porém quando parece que a história vai esquentar, a câmera volta mais uma vez para os relatos de algum jogador de renome que enfeita a produção.

O ritmo do documentário é muito bom, estilizado e com uma montagem ágil, traz uma câmera nervosa que percorre todos os cantos da comunidade na qual foram rodadas as entrevistas com os garotos. O problema são as informações batidas; e os momentos mais tocantes são ver um ou outro relato dos garotos que sonham se tornar grandes astros do futebol para melhorar a vida de suas famílias. Acontece que para se obter tal depoimento não era preciso uma produção inteira voltada para o futebol, onde as informações andam em círculos, sempre se repetindo.

Infelizmente “Pelada, Futebol na Favela” fica sem fôlego muito rápido e bate na trave. O documentário se torna, na verdade, um excelente remédio para quem anda com o sono atrasado ou sofre com insônia. É uma produção voltada apenas paras os verdadeiros fanáticos do esporte, que não se incomodam em ser apresentados aos mesmos fatos incontáveis vezes.

Trailer

Anúncios

Publicado em 3 de novembro de 2013, em CRÍTICA - FILMES e marcado como , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: