Ted

Todos queremos ter, nem que seja uma vez na vida uma noite politicamente incorreta. Bom, eis que ela pode acontecer sem aviso prévio ou sem que tenha sido planejada. Inocentemente deixar seus amigos comprarem as entradas do cinema para na hora H descobrir que eles se confundiram com os nomes dos filmes não tem preço. Bom, tem preço sim, já que o ingresso não foi de graça. Mas o melhor é entrar na sessão de um outro filme, se sentar no lugar de alguém, ser expulso, descer para a primeira fileira e se sentar do lado de um casal de lésbicas! Isso até parece coisa de filme, não é mesmo?

Ted é uma comédia escrita, dirigida, produzida e estrelada por Seth MacFarlane, o mesmo criador de Uma Família da Pesada, American Dad e The Cleveland Show. A história de Ted acompanha John, personagem de Mark Wahlberg que quando pequeno, nos arredores de Boston, ganhou um ursinho de pelúcia de seus pais de presente de natal. Sem amigos, John faz um desejo, que seu ursinho Ted ganhe vida. A surpresa é que o pedido se realiza. Já adultos, John e Ted continuam parceiros, e é aí que a faceta humor negro de MacFarlane aparece.

Ted é um ursinho tarado, maconheiro e que não dispensa uma birita, sempre fazendo piadas antissemitas e se insinuando para a garota que usar o maior sutiã, o único problema é quando a amizade com John começa a atrapalhar seu namoro com Lori, vivida pela beldade de olhos esmeralda, Mila Kunis. Lori exige que John se porte como homem e não como um menino, e lhe dá um ultimato, escolher entre ela ou Ted. Sacanagem com o marmanjo.

A história é simples, mas pelo personagem Ted ser tão porra louca, sua persona se torna tão real e ao mesmo tempo tão fofa, isso mesmo, fofa, que não dá para desgostar da comédia. Os xingamentos, piadas e tudo mais que existe de errado está no filme, mas para não ficar só nisso, MacFarlane usou de outras sacadas que servem para estabelecer a base de Ted e John. Com um leque de referências oitentistas, MacFarlane cria tantos momentos incríveis que somente quem entende dessa década tão cult trash vai realmente se matar de rir e de certo modo se sentir lisonjeado. Enaltecendo James Bond e Flash Gordon, o roteiro transforma em nada os afetados Justin Bieber e Taylor Lautner.

O filme é nota 10, incrivelmente original e desbocado, além de ser recheado de participações especiais e chega, em certo ponto a nos despertar aquele sentimento comovente que sempre existe em filmes com bichinhos e coisas do gênero, mas isso para depois jogar toda a pelúcia no ventilador e voltar a ligar o botão de Fo***** para todo o resto. Só tome cuidado para não ficar tão politicamente incorreto que na hora do selinho gay(SPOILER) soltar um “Ai, que mer**”, ao lado do casal de lésbicas.

Trailer

Anúncios

Publicado em 13 de outubro de 2012, em CRÍTICA - FILMES e marcado como , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: