Nascida Ontem

Pela primeira vez o Chico Louco abriga a crítica de um filme que não está mais em cartaz, neste caso de um filme que já não está em cartaz há quase 62 anos. A produção em questão é o clássico Nascida Ontem estrelada por Judy Holliday que ganhou o Oscar de melhor atriz na premiação de 1951 por sua interpretação caricata de uma loira burra.

Na película em preto e branco de George Cukor acompanhamos Harry Brock (Broderick Crawford), rico empresário do ramo de ferro velhos e suas falcatruas para continuar a enriquecer. Nesse caso ele vem até Washington para se aliar a um deputado com a finalidade de ampliar a vastidão de seus negócios para a capital americana.

Querendo fazer bonito na frente do político e de sua esposa, Brock contrata o jornalista Paul Verrall (William Holden) para educar, ou como ele mesmo diz, “desemburrecer” sua namorada, Billie Dawn, personagem de Judy Holliday.

Direta e franca, logo Billie se diz apaixonada por Varrell, que luta contra si mesmo para não corresponder à garota. Devido a esse sentimento e a convivência de ambos e ao desemburrecimento de Billie, esta passa a entender as falcatruas de Brock e junto de Varrell intentam desmascarar o empresário.

Nascida Ontem é uma comédia leve e divertidíssima onde parar de rir não é uma opção. A inocência e sinceridade somada a falta de conhecimento e cultura da personagem de Judy Holliday são interpretados tão genuinamente que sentimos um misto de pena e afeição pela pequena. É algo encantador. A voz arranhada da atriz que no começo parece irritante se torna parte do charme da personagem.

Já Broderick Crawford rouba a cena nos primeiros 15 minutos de filme onde não consegue fechar a boca nem para se barbear. Uma matraca ambulante, o personagem, apesar de cruel, é tão cativante quando a figura de Billie Dawn. Já o galã Holden não se destaca no filme, seu personagem estilão Clark Kent sendo convencional demais para a dupla Crawford e Holliday.

Este clássico dos anos 50 não pode passar desapercebido a ninguém que goste de dar boas risadas e se sentir leve, e quem é que não gosta disso? Destaque para a cena totalmente expressiva de Brock e Billie em partida silenciosa de Gin Rummy em contraponto ao falatório desenfreado da dupla no resto do filme.

Trailer

Anúncios

Publicado em 28 de abril de 2012, em CRÍTICA - FILMES e marcado como , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Vish!
    nem sabia que seu blog só postava sobre filmes em cartaz!
    asusahuhashuashsauusahuahssa
    AMEIIIIIIIII DEMAIS!
    ME DEU VONTADE DE VER DE NOVO!!!
    ME DEVOLVE?
    shsahushausahhsauhusahusahusaahs
    Melhor parte:

    Nascida Ontem é uma comédia leve e divertidíssima onde parar de rir não é uima opção. A inocência e sinceridade somada a falta de conhecimento e cultura da personagem de Judy Holliday são interpretados tão genuinamente que sentimos um misto de pena e afeição pela pequena. É algo encantador. A voz arranhada da atriz que no começo parece irritante se torna parte do charme da personagem.

    félicitations mon ami!
    =)
    bisous

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: