Missão Impossível: Protocolo Fantasma

Quando fiquei sabendo que um novo Missão Impossível estava sendo rodado eu não me estusiasmei muito mesmo sendo um grande fã da franquia. Ultimamente tudo que temos visto são continuações e adaptações que vivem saturando as salas de cinema e que acabam querendo ou não perdendo um pouco do encanto que os blockbusters milionários devem ter. Eis que assisti ao filme.

Missão Impossível: Protocolo Fantasma, quarto filme da franquia de espionagem começa com Ethan Hunt novamente na pele de Tom Cruise sendo resgatado de uma prisão russa pela agente Carter e Benji, respectivamente interpretados por Paula Patton e Simon Pegg. Após a fuga Hunt e sua equipe recebem a missão de se infiltrarem no Kremlin e recuperarem arquivos que identicam o homem simplesmente conhecido como “Cobalto”. Porém a missão dá errado e a explosão de uma bomba leva o Kremlin ao chão. Sem apoio Hunt e seus companheiros são considerados culpados pelo ataque e o presidente americano inicia o chamado Protocolo Fantasma, desativando a IMF.

Sem nenhum apoio Hunt e sua equipe que passa a contar com a presença de William Brandt (Jeremy Renner) viajam para Dubai no encalço de Kurt Hendricks, estrategista nuclear que acredita que a raça humana deva passar por uma seleção  para que assim os fracos sejam separados dos fortes e a humanidade posso assim se livrar do seu crescente estágio de decadência. Hendricks na verdade é Cobalto e intenta iniciar um ataque nuclear com códigos roubados e dar início a Terceira Guerra Mundial.

Depois da incrível cena de alpinismo e rapel improvisado no prédio mais alto do mundo, o Burj Khalifa, Missão Impossível: Protocolo Fanstasma se torna uma correria desenfreada, literalmente, ao redor do mundo para que Ethan Hunt posso impedir o fim do mundo e limpar seu nome e o de seus companheiros.

O diretor Brad Bird  fez uso de um recurso ainda não muito em voga atualmente em filmes do gênero que é não se levar a sério. Em meio a cenas espetaculares de ação o diretor além de jogar piadinhas para a platéia faz piada com elementos clássicos da própria franquia e exagera no uso de bugigangas que até o próprio James Bond ficaria com inveja. Além disso o filme guarda muitas surpresas que vão agradar imensamente aos fãs mais assíduos. São esses pequenos toques de consideração para quem acompanha a cine série desde o início que o filme se torna tão especial, como se tivesse sido feito especialmente para nós. Não falta nada, está tudo na tela. Se o Chico Louco desse estrelas para os filmes que analisa, Missão Impossível: Protocolo Fantasma sem qualquer sombra de dúvidas receberia 5 estrelas.

Trailer

Anúncios

Publicado em 23 de dezembro de 2011, em CRÍTICA - FILMES e marcado como , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: