Atração Perigosa

Quando o logo da Legendary Pictures surge na tela já fica evidente   que Atração Perigosa não é mais um filme independente como a maioria que é exibida na Mostra Internacional de Cinema deste ano.

Ben Affleck  que ganhou o oscar de melhor roteiro adaptado por Gênio Indomável em 1998 e que ultimamnet não tem emplacado nenhum filme de grande destaquie surge novamente como diretor depois do filme de 2007 Medo da Verdade. Mas desta vez o desfio foi ainda maior, já que Affleck além de dirigir Atração Perigosa colaborou com o roteiro e atuou como protagonista da história baseada no romance de The Prince of Thieves do autor americano Chuck Hogan.

A história é um drama policial que fala sobre segundas chances e recomeços que se passa no bairro natal do próprio Affleck, e isso não foi por coincidência. A ação se concentra em um grupo de moradores do pequeno bairro de Charlestown em Boston. Os integrantes do grupo são assaltantes de bancos liderados por Doug McRay(Affleck). Após um serviço que terminou com uma refém, a gerente de banco Claire, vivida por Rebecca Hall as coisas parecem começar a mudar. Descobrindo a Claire vive em Charlestown o bando resolve vigiá-la para certificarem-se de que ela não está cooperando com a polícia ou o FBI para solucionar o caso. Porém Doug se apaixona pela gerente e decide largar o ramo de assaltante de bancos que é passado de geração para geração. Quem não gosta nada disso é o personagem interpretado por Jeremy Renner, James Coughlin, o melhor amigo quase psicótico de McRay.

Com um leque de astros e estrelas sobre seu comando Affleck conduz a trama magnificamente. Entre eles está Jon Hamm, o Don Draper de Mad Men, que aqui vive o agente Adam Frawley do FBI que busca um modo de agarrar o bando de McRay. Blake Lively, uma das maiores promessas do cinema atual interpreta fidedignamente a viciada e mula para o tráfico de drogas Krista Coughlin, ex-namorada de McRay. A desempenho da atriz é impressionante, que ao “vestir” o personagem consegue fazer qualquer um que a veja em cena esquecer do papel que a consagrou na tevê como a protagonista absastada do seriado teen Gossip Girl.

Mostrando-se um competente diretor para cenas de ação e com um bom olho para as tomadas externas de Boston, Affleck produz um thriller de assalto a banco quase igual a todos os outros filmes que existem do gênero, se não fosse pelo fato de ter vivido tudo aquilo de perto, revelando um espírito incomum para o filme. Ele mostra as raízes do bairro de Charlestown, suas influências, fazendo-o parecer mais do que um simples cenário urbano. Outra ressalva vale para como é conduzida a narrativa que explora o passado dos personagens, revelando aos poucos como foi que eles chegaram ao seu relacionamente atual, o que aguça a curiosidade do espectador.

Concluindo, Atração Perigosa é um filme que vale a pena ser visto, apesar da atenção estar mais voltada para Ben Affleck e em como ele se sairá dirigindo um filme em que ele mesmo atua.

Trailer:

Esta crítica foi escrita durante a 34ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Anúncios

Publicado em 13 de dezembro de 2011, em CRÍTICA - FILMES e marcado como , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: