Crítica: Assassino a Preço Fixo

Produzido pela dupla de peso Irwin Winkler e Robert Chartoff e Dirigido por Simon West, diretor veterano de filmes de ação como Con Air e o primeiro Tomb Raider, Assassino a Preço Fixo é a refilmagem do clássico homônimo de 1972 estrelado por Charles Bronson. Winkler e Chartoff também foram os produtores da versão original. No remake o papel principal é de Jason Statham, perito em filmes de muito tiroteio e pancadaria. Ao seu lado está Ben Foster que mais uma vez surpreende o público fazendo um filme de temática pesada como foi o caso de Pandorum de 2009, deixando ainda mais para trás a imagem de ator de filmes adolescentes do começo dos anos 2000 e papéis secundário pouco expressivos como o mutante Anjo que interpretou em X-Men 3: O Confronto Final.

Na trama Arthur Bishop é o que chamam de mecânico, ou seja, um assassino de aluguel. Arthur é extremamente cauteloso e meticuloso, pragmático até o último fio de cabelo… péssima expressão essa… um dia ele recebe a tarefa de eliminar seu mentor, Harry, vivido por Donald Sutherland que é acusado de trair o organização para a qual trabalha em troca de dinheiro pago pelos opositores desta. É nesse ponto da história que você pensa: ah, agora ele vai liberar o cara contanto que ele suma do face do mapa e fingir que fez o serviço. Esse geralmente é um dos ingredientes básicos de filmes desse tipo, mas depois que a bala de pistola atravessa o peito Harry McKenna você desiste de advinhar o resto do filme e deixa se levar pelo inesperado, deixando as emoções sobreporem o raciocínio, sentindo de verdade o que é a magia dos filmes.

Depois de cumprida a tarefa Arthur se compadece do sofrimento de Steve, filho de Harry interpretado por Ben Foster e passa a lhe ensinar o ofício do qual vive, mostrando ao rapaz de temperamento explosivo como ser paciente e sutilmente letal e que qualquer um pode puxar um gatilho, mas que o sucesso vem com a observação e o planejamento. A dupla passa então a executar contratos juntos, mas é depois de um assassinato desajeitado que Arthur descobre que a traição de Harry era apenas uma armação para tirá-lo do caminho. É nesse momento que Arthur e Steve partem em busca de vingança, virando as regras do jogo e caindo com artilharia pesada em cima dos mandantes da morte de Harry. Mas o que acontece quando Steve descobre que seu novo amigo e mentor também é o assassino de seu pai?

Trailer: Assassino a Preço Fixo

Anúncios

Publicado em 10 de agosto de 2011, em CRÍTICA - FILMES e marcado como , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: