Cannes não pára

A 64° edição do Festival de Cinema de Cannes acabou no último domingo tendo como o grande vencedor “A Árvore da Vida” do diretor Terrence Malick que levou para casa a tão cobiçada Palma de Ouro. Mesmo com o fim da premiação as notícias vindas direto da Riviera Francesa continuam a chegar.

O diretor dinamarquês Lars Von Trier que foi expulso do festival na quinta-feira por afirmar que compreendia Hitler partiu em defesa da mostra após o ministério da cultura iraniano fazer acusações alegando que o festival possui traços fascistas. O vice-minitro iraniano, Javad Shamaqdari acusou o evento de censura. Em nota emitida nesta segunda-feira (23), o governo iraniano aponta um “comportamento de traços fascistas” por parte do evento, que se manifestou contra a censura de Mahmoud Ahmadinejad.

Lars Von Trier aproveitou a situação para tentar mais uma vez esclarecer suas declarações polêmicas e disse em comunicado: “Na minha opinião, a liberdade de expressão faz parte, em qualquer forma, dos direitos humanos fundamentais. No entanto, meus comentários durante a entrevista coletiva foram pouco inteligentes, ambíguos e necessariamente ofensivos”. Não satisfeito Von Trier continuou.  “O que eu queria dizer era que o potencial da extrema crueldade está dentro de cada ser humano, seja qual for sua nacionalidade, raça, categoria ou religião”. “Se só explicarmos os desastres nos baseando na crueldade dos indivíduos, destruiremos a possibilidade de entendimento dos mecanismos humanos, peça necessária para evitar futuros crimes contra a humanidade”.

Uma outra notícia, esta mais leve e de teor cômico vinda de Cannes foi que Robert De Niro, presidente do juri do festival enroscou-se na pronúncia ao tentar dizer parte de seu discurso na noite da premiação em francês.

“Foi uma bela experiência… ‘avec la champignon’… ‘avec la… champignon’ do júri”, atrapalhou-se o ator tirando boas risadas da platéia, isso porque De Niro confundiu-se ao trocar a palavra “companhia” com “champignon” que na verdade é cogumelo em francês.

De Niro no momento de sua gafe junto da atriz Melanie Laurent

O ator veterano e idealisador do seu próprio festival de cinema, o Tribeca, comentou depois da cerimônia que o contou na escolha dos vencedores foi o drama mostrado na tela e não aqueles que transcorrera em seus bastidores. O protagonista de filmes como “Touro Indomável”, “Taxi Driver”, “Cassino” e “O Poderoso Chefão parte II” com tal frase se referiu aos escândalos que ocorreram durante esta edição do festival, como foi o caso de Lars Von Trier.

Anúncios

Publicado em 25 de maio de 2011, em FILMES e marcado como , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: