Autora de livro de ensino diz que é certo escrever errado

Na última sexta-feira, 13, uma notícia vinculada pelos principais meios de comunicação do país mecheu com os brios de muita gente ao noticiar que um livro de ensino aprovado pelo MEC trazia erros gramaticais, mas o mais revoltante foi ver a autora do livro afirmar que é certo escrever errado.

O livro “Por uma vida melhor” da coleção “Viver, aprender” traz as seguintes sentenças: “Nós pega o peixe” e ”Os menino pega o peixe.” Até as crianças entre oito e nove anos que ainda estão em processo de aprender a ler e a escrever corretamente foram capazes de perceber o erro de concordância das frases acima.

Incrivelmente, uma das autoras do livro, Heloisa Ramos, diz que as sentenças apresentadas no livro também devem ser levadas em conta e que não há língua que apresente um único jeito de falar. A autora diz que é comum o aluno falar dessa maneira mas que assim também pode estar sujeito a sofrer com o chamado preconceito linguístico e que a culpa disso vem dos próprios livros de gramática! O que a autora não percebeu ao afirmar que uma língua possui mais de um jeito de falar foi que o assunto foca-se no erro gramatical cometido por ela em um livro, e livros não falam, pois caso falassem, também apontariam esse erro craço, digo, crasso… Sendo assim também deve estar correto dizer: “Nóiz vai de a pé” ou “Muntemo na van e fumo”, que respectivamente quer dizer “Nós vamos a pé” e ”Montamos na van e fomos”, neste caso o mais apropriado seria usar o verbo subir no lugar de montar.

Hoje no Brasil, ainda chamado de o país da impunidade é comum ver diversos crimes sem punição, pobres cada vez mais pobres e até crianças sendo mortas dentro da própria escola! Mas este crime cometido contra a língua pátria é inaceitável.

Anúncios

Publicado em 15 de maio de 2011, em QUALQUER ASSUNTO e marcado como , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 3 Comentários.

  1. Essa foi a manchete pior que eu já vi.
    Primeiro “A jogador”, segundo palmeirense do Coruripe. E terceiro Assunção é palmeirense sim mas não do Coruripe.
    Como eu estou por dentro do assunto eu acredito que o que a Rafaela quiz dizer é “O jogador do Palmeiras, Assunção, que jogou contra o Coruripe, promete vencer o Clássico entre Palmeiras e Corinthians.

    Como no Brasil não é mais necessário ter diploma de jornalista para ser jornalista então será mais comum esse tipo de erro.
    Pelo que vejo é moda e bonito no Brasil escrever e falar errado!!!

    21/03/2012 23h06 – Atualizado em 21/03/2012 23h08
    A jogador palmeirense do Coruripe, Assunção promete vencer o clássico
    Meia do time de Alagoas, Cleiton diz que vai torcer pelo Palmeiras na Copa do Brasil

    Por Rafaela Gonçalves Jundiaí, SP

    http://globoesporte.globo.com/futebol/times/palmeiras/noticia/2012/03/jogador-palmeirense-do-coruripe-assuncao-promete-vencer-o-classico.html

    • Concordo que o título tenha ficado confuso, mas está escrito corretamente!
      Preste atenção: “A jogador palmeirense do Coruripe, Assunção promete vencer o clássico”
      Deixando o título mais fácil de se compreender: “Assunção promete a jogador palmeirense do Coruripe que vencerá o clássico”
      Significa que há um jogador palmeirense no Coruripe, como mostra a matéria (o tal de Cleiton), e o jogador palmeirense Assunção prometeu AO Cleiton que vai vencer o clássico. Esse “A jogador” refere-se ao complemento de “promete”, pois ele “promete a” alguém.
      Entendeu?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: